Foco e Escopo

MISSÃO

Disseminar resultados de pesquisas interdisciplinar e disciplinar em URBANISMO e PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL. Além de suas áreas correlatas: ciências sociais, sociais aplicadas, humanas, exatas, biológicas e da terra. Desde que o tema de investigação esteja relacionado as áreas de interesse da revista. 

POLÍTICA EDITORIAL

Este breve manual contém parcialmente a política editorial da revista em resposta aos diretórios: i. Sistema de Informação Científica Redalyc - Rede de Revistas Científicas da América Latina e Caribe, Espanha e Portugal e a. Rede Scielo - Scientific Electronic Library Online. Associada assinatura da Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa (DORA) assumindo o compromisso ético com a publicação científica.

Âmbito e natureza

Objetivo: (i) divulgar resultados de pesquisas científicas interdisciplinar em Urbanismo e Planejamento Urbano; (ii) divulgar resultados de pesquisas de iniciação científica fomentando o interesse de jovens pesquisadores pela ciência e a comunicação científica e,; (iii) torna-se um espaço democrático à publicação de outras comunicações científicas: relatos de experiências e de pesquisa, trabalhados acadêmicos abordando o plano e projeto urbano e resenhas de livros importantes no campo das duas áreas principais da revista.

Comunidade endereçada: arquitetura e urbanismo mais planejamento urbano e regional e; áreas das Ciências Sociais, Humanas, Exatas, Tecnológicas, Biológicas e outras.

Público: Cientistas, pesquisadores, professores, acadêmicos, técnicos municipais, técnicos institucionais de órgãos governamentais e outros profissionais relacionados ao campo do urbanismo e planejamento urbano.

Processo de Avaliação pelos Pares

Revisão por pares

Fundamentos

A revisão por pares contribui para validar a pesquisa, estabelece um método pelo qual a pesquisa pode ser avaliada e aumenta a possibilidade de fazer contatos nas comunidades de pesquisa (Elsevier, 2019, s/p). 

A revista utiliza desde 2015 este modelo por considerar a importância do anonimato dos autores e revisores.

Tipos de revisão por pares

Os autores devem conhecer que as revistas trabalham com tipos de revisões diferentes com suas divergências e convergências. Entre uma e outra as mais utilizadas são:

  • Revisão cega
  •  Revisão duplo-cega
  • Revisão aberta
  • Revisão por pares mais transparente

A revista PPC adota a revisão por pares às cegas conforme descrito no item anterior associado a pré-publicação em anonimato.

O processo de revisão da pré-publicação à revisão por pares

A pré-publicação não se trata de uma avaliação rigorosa como à avaliação às cegas por pares, pois a revista dedica apenas um mês a este tipo de avaliação. Nem significa que o manuscrito será aprovado ou reprovado.

Neste sentido, no preprint seleciona-se manuscritos mais bem elaborados à avaliação às cegas.

Manuscritos publicados em eventos científicos

Manuscritos publicados em formato completo em eventos científicos podem ser submetidos à revista com avanços significativos quanto a escrita, estrutura, originalidade, novidade do estudo e ineditismo. Devem ser enviados link dos anais com o manuscrito para análise se o artigo submetido possui outra abordagem quanto a comunicação científica.

Carta de originalidade

Termo de ineditismo e originalidade a ser assinada pelos autores e enviada no ato da submissão em formato PDF (documentos complementares) podendo ter assinatura digital dos autores. O arquivo em PDF deve ser baixado no link: https://bit.ly/2GrYDrq

Processo de avaliação

Adota-se os seguintes procedimentos para avaliação do trabalho:

  • Pré-publicação: os artigos anônimos serão abertos no portal da revista. O editor irá convidar avaliadores externos a um breve parecer quanto a cientificidade do texto. Apontando se o mesmo deve ou não seguir à avaliação às cegas. Ou ainda, revisões importantes anteriores à esta avaliação. Ao mesmo tempo o artigo será enviando a um conjunto de leitores da área de Urbanismo e Planejamento Urbano avaliando a condição do manuscrito enquanto comunicação científica. Apontando comentários, sugestões e críticas associado a comunicação científica;
  • Análise editorial 1: o manuscrito é avaliado se cumpre com as normas editoriais da revista, a declaração de originalidade, a relevância em ser publicado, a qualidade da escrita científica e inovação na estrutura. Caso o texto esteja adequado, será enviado a dois revisores especialista no tema;
  • Análise editorial 2: avalia-se o manuscrito obedece a exigência em usar 60% de artigos recentes no período de 5 anos; 30% no período de 10 anos e 10% relacionados a autores reconhecidos na área. O cálculo deve ser colocado pelos autores no início das referências bibliográficas;
  • Avaliação às cegas 1: os originais passam por um sistema de revisão dupla por pares (double-blind review) com revisores do conselho consultivo ou convidados externos. A avaliação leva em consideração: ineditismo, originalidade; adequação ao escopo da revista; rigor na escrita científica; coesão e clareza na apresentação dos métodos, resultados e discussões; habilidade com a comunicação científica, e a qualidade textual;
  • Arbitragem: em caso de discordância entre os avaliadores o editor tomará decisões quando a negar, sugerir nova submissão, ou ainda, nova avaliação sem submissão.  
  • Avaliação editorial 4: após receber o arquivo com as correções a avaliação editorial final implicará: a) aceite sem ou pequenas modificações; b) aceite condicionado às modificações sugeridas pelos avaliadores; c) nova submissão e, d) recusado.

Pré-publicação

A revista Políticas Públicas & Cidades tem imensa preocupação com a qualidade dos manuscritos submetidos. Buscando adotar práticas editoriais internacionais ampliando a qualidade da revista e dos trabalhos à comunidade acadêmica. Ao oferecer comunicações científicas a partir de boas práticas editoriais pela escrita, revisão, avaliação e publicação.

Considerando que a boa publicação assume o rigor teórico, metodológico de uma escrita científica em sintonia com o interesse dos leitores. Assim, a partir de 2019 adota-se a pré-publicação. Sendo o processo definido da seguinte maneira:

  • Submissão online à revista;
  • O editor deixará o artigo em acesso aberto no período de um mês sem referência aos autores;
  • O editor enviará os manuscritos em acesso aberto a uma rede de avaliadores e leitores.
  • Ao avaliador cabe apontar se o artigo possui condições a revisão por pares informando se há necessidade urgente de revisão antes de seguir à avaliação às cegas.
  • Aos leitores cabe a mesma função, menos preencher o item recomendação;
  • Se negado, o artigo poderá ser submetido a outra rodada preprint. Caso seja negado novamente será arquivado sem outra submissão.

Formulário do avaliador na pré-publicação

O formulário indica três breves critérios qualitativos:

  • Bom – significa que a variável parece clara, coesa e admissível à uma avaliação mais rígida quanto sua cientificidade;
  • Parcial – significa a possibilidade de o manuscrito ter uma revisão e seguir à avaliação por pares;
  • Inexistente – representa problemas estruturais de natureza científica e de escrita, impossibilitando seguir a revisão por pares.

Avaliador(a):

Leitor(a):

Critério

Bom

Parcial

inexistente

Ineditismo

 

 

 

Originalidade

 

 

 

Metodologia

 

 

 

Importância à área do conhecimento

 

 

 

Interesse de conhecimento

 

 

 

Impacto à comunidade acadêmica

 

 

 

Qualidade da escrita científica

 

 

 

  • Recomendação apenas do avaliador(a):

 

Bom, parcial e inexistente

O trabalho pode ser avaliado com mais cuidado e todo rigor por dois avaliadores especialista no tema abordado

 

O trabalho carece de revisão conforme os critérios apontados. Ou seja, após revisão pode seguir à avaliação às cegas

 

Após realizar as revisões o manuscrito deve passar por outra pré-avaliação

 

aponte recomendações gerais à melhoria do manuscrito antes da submissão final: 

Com este formato a ser realizado no período máximo de um mês, busca-se:

  • abrir os manuscritos à comunidade acadêmica de leitores, pesquisadores e autores. Possibilitando múltiplas experiências daqueles que os leem, comentam e sugerem revisões;
  • a possibilidade de os autores resolver questões importantes antes da revisão às cegas;
  • permitir que os trabalhos enviados aos avaliadores em anonimato sejam melhores selecionados;
  • evitar editores e avaliadores perdem entre manuscritos sem cientificidade.  

Exogeneidade dos avaliadores

Além dos avaliadores do conselho editorial e conselho consultivo há ainda, os avaliadores externos convidados quando a temática do manuscrito.

Exogeneidade do conselho editorial

A revista PPC não possui vínculo institucional, por isso, seus avaliadores são 100% externos ao grupo de pesquisadores mantedores do periódico.

Tempos de avaliação

Submissão a pré-publicações

Data informada pela revista

Análise externa da pré-publicações

1 mês

Informação se o artigo será encaminhado a avaliação por pares pelo editor

1 semana após análises e recomendações na pré-publicação

Avaliação por pares

1 a 2 meses

Editor avalia as avaliações

até 20 dias

Envio da recomendação ou não a publicação

7 meses e 1 semana (aproximado para menos ou para mais)

Solicitação de revisões ao manuscrito (a de conteúdo) mais revisão do texto especialista (a de português, inglês ou espanhol)

1 mês

Recebimento do manuscrito revisado mais declaração da revisão pelo especialista

Ao final do período de um mês

Envio da declaração de aceite a publicação

Ao final do período de um mês considerando até 3 semanas para análise final pelos editores ou avaliadores convidados a esta função

Total de semanas

8 meses e três semanas aproximada para mais ou para menos

Publicação

No dossiê seguinte

Formato de avaliação por pares

Ficha de avaliação às cegas

Critérios de avaliação

Não

Sim, parcialmente

Sim, totalmente

Não se aplica

1. O título possui apenas sete expressões dando enfoque às variáveis teóricas e não operacionais?

 

 

 

 

2. O artigo inova ao propor uma estrutura de artigos superando a tradicional estrutura - introdução, desenvolvimento e conclusão?

 

 

 

 

3. O manuscrito apresenta 60% de citações relacionadas a artigos recentes no período de cinco anos?[1]

 

 

 

 

3. O trabalho apresenta um texto claro, coeso e coerente?

 

 

 

 

4. O trabalho representa uma contribuição relevante ao campo de conhecimento?

 

 

 

 

5. A lacuna está bem delimitada entre abordagens teóricas do campo de conhecimento?

 

 

 

 

6. Está explicito o ineditismo, a originalidade e a novidade do manuscrito?

 

 

 

 

6. O problema de pesquisa e a questão estão claros e bem delimitados?

 

 

 

 

7. O trabalho dialoga com a bibliografia existente sobre o tema, incluindo trabalhos recentes?

 

 

 

 

8. A metodologia está claramente descrita?

 

 

 

 

9. A metodologia permite alcançar resultados com nível satisfatório de confiabilidade?

 

 

 

 

10. Está claro a relação entre problema, objetivos, metodologia e resultados?

 

 

 

 

11. Os resultados são descritos claramente?

 

 

 

 

12. Os resultados são discutidos adequadamente (implicações, limitações, interpretações alternativas, etc.)?

 

 

 

 

13. O texto está redigido de forma clara e segue às normas de redação no que diz respeito à ortografia e gramática?

 

 

 

 

14. A redação da conclusão considera recomendações da RPPC?

 

 

 

 

15. O trabalho tem condições de gerar impacto na acadêmica? Considerando o ineditismo, a originalidade e a novidade.

 

 

 

 

Recomendação aos editores

 Resultado final do manuscrito

Recomendação

 

Aprovar sem modificações ou com modificações mínimas.

 

Aprovar com modificações.

 

Não aprovar.

 

Observações adicionais (aos autores)

Entendemos que o retorno aos autores é um dos resultados mais importantes deste processo de submissão e avaliação e, por isso, solicitamos que, se possível, aqui sejam fornecidos mais detalhes sobre as avaliações marcadas na ficha acima, especialmente aquelas marcadas como “Não” e “Sim, parcialmente”. As observações podem ser feitas de maneira geral ou tratar de pontos específicos usando como referência os números dos critérios constantes na ficha de avaliação.

Observações adicionais (apenas aos editores)

Caso deseje, aqui podem ser incluídas observações que não serão repassadas aos autores, a serem utilizadas pelos editores apenas para a decisão final quanto à publicação ou não.

Avaliadores externos

A revista PPC possuí um quadro de avaliações externos – Conselho Consultivo descrito no quadro a seguir. Mesmo assim de acordo com a temática outros avaliadores são convidados para avaliar o manuscrito e entrar no grupo de avaliadores da revista.

Datas do processo de avaliação

O tempo de avaliação pode durar de 2 a 8 meses. Este prazo depende muito da qualidade do manuscrito. Manuscritos com coesão, boa escrita e construção lógica do pensamento teórico, metodológico e discursivo são recomendados a publicação entre 2 a 3 meses. Manuscritos fragilizados terminam passando por avaliações, revisões dos autores, novas submissões adiando a publicação.

Datas do processo de avaliação

Próximo à publicação será incorporado as seguintes informações:

  • Data de submissão a pré-publicação
  • Submissão com revisões da pré-publicação
  • Data de nova submissão
  • Data de aceite
  • Data de publicação

Exogeneidade na publicação

A revista não é pública ou privada, por isso, os artigos são 100% de autores com pesquisas em urbanismo e planejamento urbano entre instituições de pesquisa.

Especificação e periodicidade a partir de 2019

A revista está consolidando a prática de publicações trimestrais com 4 (quatro) dossiês temáticos por ano associado as chamadas às demais seções.

Periodicidade e conformidade periódica

Trimestral

Previsão de publicação

Janeiro a março

Final de abril

Abril e junho

Final de junho

Julho e setembro

Final de setembro

Outubro e dezembro

Final de dezembro

Data de publicação

A previsão dos meses de publicação são:

  • última semana de março;
  • última semana de junho;
  • última semana de setembro;
  • última semana de dezembro.

[1] Este critério é de suma importância para valorização e disseminação do conhecimento produzido e publicado em outros periódicos.

Periodicidade

Atualização e periodicidade

A atualização das práticas editoriais da revista variou entre 2015 e 2018 da seguinte forma:

Ano

Número de dossiês

Permanência

2015

3 dossiês

Quadrimestral

2016

2 dossiês

Semestral

2017

2 dossiês

Semestral

2018

2 dossiês

Semestral

A partir de 2019 buscara-se manter a homogeneidade das publicações trimestrais.

Especificação e periodicidade a partir de 2019

A revista está consolidando a prática de publicações trimestrais com 4 (quatro) dossiês temáticos por ano associado as chamadas às demais seções.

Periodicidade e conformidade periódica

Trimestral

Previsão de publicação

Janeiro a março

Final de abril

Abril e junho

Final de junho

Julho e setembro

Final de setembro

Outubro e dezembro

Final de dezembro

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Detalhes de contato

Periódico Políticas Públicas & Cidades

  • Nome: Wesley da Silva Nedeiros
  • Endereço: Rua Dos Guajajaras
  • Número: 1268
  • Complemento: APTO 405
  • CEP: 30180-101
  • Cidade: Belo Horizonte
  • Estado: MG
  • E-mail: wesley.arquitetura@gmail.com
  • Telefone Celular: (31) 982675492
  • Outro Telefone: (35) 984418148

Adesão ao DORA

A RPPC aderiu a Declaração de São Francisco sobre Avaliação da Pesquisa (DORA). Tornando-se um dos signatários deste pacto à qualidade da produção científica. Link: https://sfdora.org/read/pt-br/

Seções

A revista em 2019 adotou 8 (oito) seções à publicação de manuscritos. Sendo três seções de artigos científicos originais por edição:

  • Seção com o dossiê temático – publicará até 10 (dez) artigos;
  • Seção com artigos livres – publicará até 8 (oito) artigos do fluxo contínuo;
  • Seção de ensaios acadêmicos – publicará 4 (quatro) ensaios de fluxo contínuo;
  • Seção de iniciação científica - publicará 4 (quatro) artigos/ensaio de fluxo contínuo.  

Seções de trabalhos trazendo avanços ao conhecimento são:

  • Seção de entrevista – 1 (uma) entrevista;
  • Seção com relato de experiência – 1 (um) relato;
  • Seção provocações urbanas – 4 (quatro) trabalhos acadêmicos em formato de artigo científico ou ensaio acadêmico;
  • Resenhas – 1 (uma) resenha.

Taxas de rejeição e aceitação

Sem ter o QUALIS CAPES, em 2015 a revista teve um total de 140 submissões, sendo que, apenas 31 foram publicados (22% do total).

Tabela 1: Manuscritos referentes a 2015

Três dossiês temáticos em 2015

Vol.

submetidos

rejeitados

negados

publicados

publicados

Absoluto total

Absoluto parcial

%

Absoluto

parcial

%

1

80

69

86%

11

14%

2

35

25

71%

10

29%

3

25

15

60%

10

40%

4

140

109

78%

31

22%

Fonte: RPPC, 2019.

 Tabela 2: Manuscritos referentes a 2016

Três dossiês temáticos em 2016

Vol.

submetidos

rejeitados

negados

publicados

publicados

Absoluto total

Absoluto parcial

%

Absoluto

parcial

%

1

70

62

89%

8

11%

2

22

15

68%

7

32%

2

92

77

44%

15

16%

Fonte: RPPC, 2019.

Tabela 3:  Manuscritos referentes a 2017

Três dossiês temáticos em 2017

Vol.

submetidos

rejeitados

negados

publicados

publicados

Absoluto total

Absoluto parcial

%

Absoluto

parcial

%

1

26

21

81%

5

19%

2

46

40

87%

6

13%

2

72

61

85%

23

15%

Fonte: RPPC, 2019.

Tabela 4:  Manuscritos referentes a 2018

Três dossiês temáticos em 2018

Vol.

submetidos

rejeitados

negados

publicados

publicados

Absoluto total

Absoluto parcial

%

Absoluto

parcial

%

1

60

50

83%

10

17%

2

55

42

76%

13

24%

2

72

92

80%

23

20%

Fonte: RPPC, 2019.

Detecção de plágio

A RPP&C utiliza o software “Plagius - Detector de Plágio” comparado e licenciado para seu uso. Mas os editores só passam o arquivo no software após revisões finais antes do aceite definitivo à publicação. Link para baixar o software: https://www.plagius.com/br

Revisores de texto associados a revista

Ao submeter um manuscrito a RPPC o autor(a) fica ciente do seu compromisso em pagar um profissional formado em letras especialista em revisão de textos acadêmicos.  Evitando quaisquer constrangimentos a revista optou por selecionar os revisores. Cabendo ao(s) autor(es) escolher e contatar um deles para revisão do seu trabalho.  Indicamos a revisão da versão final, mas apontamos que o conjunto de erros e dificuldades com a gramática implicam na submissão a negação do manuscrito.

Revisores de textos selecionados pela revista

1. Nome completo

3. Mestrado ou doutorado na área

4. E-mail

5. Valor lauda

Elizabete Barros de Sousa Lima

Mestrado em literatura na UnB em 2016. Doutoranda em literatura.

elizabete.bs001@gmail.com

R$ 7,50

Rubia Mara de Sousa Lapa Cunha

Mestrado Uneb, Usp e doutoranda UFBA

rubialapa@hotmail.com

R$ 7,50

Felipe Vale da Silva

Doutorado em Letras/Alemão na USP, 2016. Pós-doutorado em Literatura na UFG, 2018.

felipe.vale.silva@gmx.com

R$ 7,50

Ivan Pedro Santos Nascimento

Mestrado em Língua e Cultura na UFBA em andamento

ips.nascimento@hotmail.com

R$ 7,50

Edylene Daniel Severiano

Mestrado em Teoria Literária na UFRJ, 2018

edylenedanielseveriano@hotmail.com

R$ 7,50

 

Histórico do periódico

Fundada em 2014 o periódico tornou-se um veículo importante a divulgação de pesquisas em urbanismo e planejamento urbano. Além de suas áreas correlatas.

Trata-se de um periódico mantido de forma voluntária pesquisadores envolvidos no processo editorial. Por isso, não há vínculo institucional com programas de pós-graduação, grupos ou institutos de pesquisa.

PERMANÊNCIA

A revista teve suas primeiras edições em 2015 consolidando-se com os seguintes volumes:

  • Volume 1: apenas para retirar o ISSN sem artigos publicação formal referente a 2014 – julho/dezembro. Por isso, foi retirado do ar;
  • Dossiê: Políticas públicas e a questão urbana – jan/abr., 2015;
  • Dossiê: Pequenas e médias cidades – mai/agos., 2015;
  • Dossiê: Políticas culturais e cidades – set./dez., 2015.
  • Dossiê: Forma urbana e processos socioespaciais – jan/jul., 2016;
  • Dossiê: A cidade como trama da vida cotidiana: a (r)evolução de Jane Jacobs – agos/dez., 2018.
  • Dossiê: Tendências recentes de Urbanização no Nordeste brasileiro - jan/jul., 2017;
  • Dossiê: Processos Contemporâneos de Urbanização do bioma amazônico - agos/dez., 2018;
  • Dossiê: Ensino do Urbanismo no Brasil - jan/jul., 2017;
  • Dossiê: Experiências no Ensino do Urbanismo no Brasil - agos/dez., 2018.

Frequência 

A atualização das práticas editoriais da revista variou entre 2015 e 2018 da seguinte forma:

Ano

Número de dossiês

Permanência

2015

3 dossiês

Quadrimestral

2016

2 dossiês

Semestral

2017

2 dossiês

Semestral

2018

2 dossiês

Semestral