Constatações no Gasto Público dos Municípios da Região Metropolitana de Salvador: Reflexo das Áreas de Gastos Priorizadas de Governo nos Indicadores Socioeconômicos

  • anônimo 3 preprint
  • Anônimo 3 preprint Universidade Federal da Bahia - UFBA

Resumo

Esta pesquisa teve o objetivo de relacionar como os indicadores socioeconômicos dos municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS) e os gastos priorizados por tais municípios refletem uma situação de eficiência do gasto público. A amostra foi formada por 13 municípios. Ao utilizar-se da regressão multivariada para explicar a variável dependente, Índice de Prioridade Fiscal (IPF), com base nas variáveis independentes: IFDM, IG, IPE e IPS, foi perceptível que a relação entre os indicadores socioeconômicos e os gastos priorizados pelos municípios da RMS não reflete uma situação de eficiência destes gastos. Este achado comunga com a teoria da regulação, na qual a regulamentação exerceria influência sobre as decisões dos gestores. Percebeu-se que o gasto público está sendo executado conforme o que determina a legislação, porém não há reflexo significativo na expressão dos indicadores socioeconômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

anônimo 3 preprint
Universidade Federal da Bahia - UFBA

Referências

ALMEIDA, R. T. de. Métodos de Apoio ao Estabelecimento de Prioridades. In: IDH, Bússola: estabelecendo prioridades em políticas públicas através de indicadores de desenvolvimento humano: longevidade, educação, renda, infância, habitação. Rio de Janeiro, Litteris, 2001.

ANSELMI, L.; LAGARDE, M.; HANSON, K. Going beyond horizontal equity: An analysis of the allocation of health spending in all geographic areas in Mozambique. Social Science & Medicine, Vol.130, p.216 (9), 2015.

BALDWIN, R.; CAVE, M. Understanding regulation: theory, strategy and practice. New York: Oxford University, 1999.

BORJA, P.C; MORAES, L.R.S. Sistema de indicadores de saúde ambiental – saneamento em políticas públicas, Bahia Análise & Dados. SEI, v. 10, n.4, p.229-244, mar., 2001.

BRASIL. Instituto Brasileiro de geografia e Estatística – IBGE - Perfil dos Municípios Brasileiros: Pesquisa de Informações Básicas Municipais, 2013, Rio de Janeiro, 2001. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/censo2010>. Acesso em: 22 jun. 2015.

______. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. Disponível em: <https://ipea.gov.br/agencia/index.php?option=com_content&view=article&id=20859&Itemid=1>. Acesso em: 27 jun. 2016.

_______. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm>. Acesso em: 20 jun. 2015.

______. Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 20 jun. de 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2015.

_______. Lei Complementar n.º 101, de 4 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal). Estabelece normas de Finanças Públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Disponível em: <http://www.tesouro.fazenda.gov.br/legislacao/download/contabilidade/Lei_comp_101_00.pdf> . Acesso em: 20 jun. 2015.

______. Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas - IPEA. Índice de Gini. Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br>. Acesso em: 19 jun. 2015.

BREUNIG, C.; KOSKI, C.; MORTENSEN, P. B. Stability and scores in public spending: A comparative study of budgetary functions. Journal of Public Research and Theory Administração, v. 20, n. 4, p. 703-722, nov., 2010.

BRUNET, J.F.G. et al. Estados comparados por funções do orçamento: uma avaliação da eficiência e efetividade dos gastos públicos estaduais. Prêmio IPEA-Caixa, Menção Honrosa I, 2006.

CÂNDIDO JÚNIOR, J. O. Os gastos públicos no Brasil são produtivos? Planejamento e Políticas Públicas, n. 23, Rio de Janeiro, fev. IPEA, 2001.

CASTRO, J. A. et al. Gasto Social e Política Macroeconômica: trajetórias e tensões no período 1995 – 2005. Brasília: IPEA, 2008. (Texto para Discussão, n. 1324).

CHEVALLIER, J. De quelque usage du concept de régulation. In: MIAILLE, M. La régulation et le pouvoir politique. Paris: L’Harmattan, p 71-93, 1995.

DEMERY, L. Benefit incidence: a practitioner’s guide. The World Bank, July, 2000.

D’HOMBRES, E. Régulation par qui? Régulation de quoi? Raisons politiques, Paris, n. 28, p. 127-151, out. 2007.

EDWARDS, R. T.; et al. The Budgeting for National Programs and Marginal Analysis (PBMA) the improvement of health spending in Wales: divestment and reinvestment throughout the course of life. BMC Public Health, Vol.14, p.837, agos., 2014.

JANNUZZI, P. M. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. 4. ed. Campinas-SP: Alínea, 2009.

______. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. Revista de Administração Pública, v. 36(1):51-72, Rio de Janeiro. jan./fev., 2002.

——— & PASQUALI, F. A. Estimação de demandas sociais para fins de formulação de políticas públicas municipais. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, FGV, 33(2):75-94, mar./abr. 1999.

FARIA, A., M. de; GONÇALVES, M. A.; SANTOS, L. M dos. Gasto público e políticas públicas: uma avaliação do desempenho da Rede Materno-infantil em Minas Gerais. Revista Eletrônica Gestão e Saúde, 2013, Issue 3, pp.1269-1299.

FERNANDES, M. A. C. (coord.). Dimensionamento e acompanhamento do gasto social Federal. Brasília: IPEA, fev. 1998 (Texto pra Discussão, 547).

________. (coord.) Gasto social das três esferas de governo – 1995. Brasília: IPEA, out. 1998 (Texto pra Discussão, 598).

JAYASURIYA, R.; WODON, Q. Measuring and explaining country efficiency in improving health and education indicators. The World Bank, 2002.

MIRANDA, R. F. de A. Relação entre inconformidades nos gastos públicos do programa bolsa família e indicadores sociais dos municípios: Uma análise a partir das ações de controle realizadas pela CGU. Dissertação de Mestrado – Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Brasília, 2011.

OLIVEIRA, F. A. Evolução, determinantes e dinâmica do gasto social no Brasil: 1980/1986. Brasília: IPEA, jun.1999 (Texto para Discussão, 649).

PESSOA, R. S. Direito e regulação. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

POHLMANN, M. C.; ALVES, F. J. S. Regulamentação. In: IUDÍCIBUS, S. D.; LOPES, A. B. (Orgs.). Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2004. p. 233-273.

RIBEIRO, M. B. Desempenho e eficiência do gasto público: uma análise comparativa do Brasil em relação a um conjunto de países da América Latina. Rio de Janeiro: Ipea, 2008. (Texto para discussão, n. 1.368). Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2017.

SANCHES, J. L. S. A regulação: história breve de um conceito. Revista da Ordem dos Advogados, Lisboa, v. 60, n. 1, p. 5-22, 2000.

SANTOS, Y. D. DOS; MARQUES, J. R. de C.; BARBOSA, M. de F. N. Análise da eficiência dos gastos com educação no ensino fundamental nos municípios do Seridó Potiguar. Revista Ambiente Contabil [2176-9036] ano:2016 vol:8 fasc:2 pág:287 -308.

SEI - SUPERINTENDÊNCIA DE ESTUDOS ECONÔMICOS E SOCIAIS DA BAHIA. Índice de performance econômico e social dos municípios baianos. Disponível em:<http://www.sei.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=74&Itemid=174>. Acesso em: mar. 2016.

SISTEMA FIRJAN. Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – IFDM. Rio de Janeiro: Firjan, 2012. Disponível em: < http://www.firjan.org.br/ifdm/>. Acesso em: 20 jun. 2015.

SOARES, M. C. A mensuração do impacto redistributivo do gasto social: um estudo para a região metropolitana de São Paulo. Brasília: IPEA, mai. 1999 (Texto para Discussão, 643).

SOARES, P. F. Teorias da regulação: interseção entre as teorias do interesse público e a teoria institucionalista. Disponível em: <http://www.conteudojuridico.com.br/artigo,teorias-da-regulacao-intersecao-entre-as-teorias-do-interesse-publico-e-a-teoria-institucionalista,46467.html. 2008>. Acesso em: 17 fev. 2017.

SWANN, D. The retreat of the State: deregulation and privatization in the UK and US. The University of Michigan Press, 1988.

TANZI, V.; SCHUKNECHT, E. Public sector efficiency: an international comparison. European Central Bank, 2003. (Working paper 242).

ZOGHBI, A. C. P.; et al. Mensurando o Desempenho e a Eficiência dos Gastos Estaduais em Educação Fundamental e Média. Est. econ., São Paulo, v. 39, n. 4, p. 785-809, out/dez., 2009.(1).

Publicado
03-03-2019
Como Citar
preprint anônimo 3., & preprintA. 3. (2019). Constatações no Gasto Público dos Municípios da Região Metropolitana de Salvador: Reflexo das Áreas de Gastos Priorizadas de Governo nos Indicadores Socioeconômicos. Revista Políticas Públicas & Cidades - 2359-1552, 1(1). Recuperado de http://periodico.revistappc.com/RPPC/article/view/296