CONCURSO "UTOPIA EM TEMPOS DE DIÁSPORAS"

1. Inscrições

2. Valor da inscrição e premiação

  • Inscrição: R$ 150,00
  • Primeiro lugar: R$ 2.500,00
  • Segundo lugar: R$ 1.000,00
  • Terceiro lugar: R$ 500,00
  • A inscrição deve ser realizada até o dia 15 de março de 2019.
  • O pagamento até a data de vencimento: 16 de março de 2019.

3.Resultado

  • Avaliação pela comissão: 01 a 30 de maio de 2019
  • Divulgação do resultado: 05 de junho de 2019[1]

4.Envio das propostas

5.Temática

TEMA: Cidade Utópica em tempos de diásporas. 

A utopia enquanto conceito subjetivo e objetivo da realidade urbana esteve presente no pensamento e na ação de intelectuais e urbanistas após a revolução industrial. No mundo atual a utopia parece desaparecer, pois tudo a nossa volta parece ao revés e em medidas diferentes e a CIDADE se desfigura pelas ausências, mas, sobretudo, pela ausência de ideias. Por isso, este periódico científico resolveu ir além dos artigos científicos ao fomentar o debate de uma outra sociedade. Isso porque criarmos repertório teórico e prático de ideias para nosso objeto de estudo que é a CIDADE e suas realidades urbanas. Negligenciando, por exemplo, o urbanismo funcionalista, mas sem propor uma ação contra este modelo. Isto é, uma rede de ideias ao exercício da dúvida, da hipótese e da busca por outras práticas urbanas capazes de reinventar a roda do pensamento urbanístico.

A este contexto decidiu-se pensar o lugar da cidade no interior de crises humanitárias no período recente. A questão das diásporas observada no deslocamento de populações entre lugares no mundo está na ordem do dia. Todos em busca de um sonho – a CIDADE como abrigo acolhedor daqueles expulsos de suas terras pelas adversidades à vida. A CIDADE enquanto lar, para aprender e reaprender valores éticos e políticos na esfera da vida pública. Mas toda diáspora é um risco na modernidade, pois o medo do Outro prevalece enquanto face da violência humana e ao nosso entendimento apenas o conceito, o desenho e o projeto podem apaziguar os efeitos desta violência. E assim a CIDADE pode servir de abrigo a todos e, por isso, espera-se ideias importantes para superarmos o estágio do subdesenvolvimento, do atraso, da pobreza, da fome, da desigualdade e da exclusão social. Aos homens e mulheres procurando um ponto para chamarem de lar em tempos de diásporas.

6.Participação

  • Considerando a diversidade de matrizes curriculares entre os cursos de arquitetura e urbanismo no Brasil mais os recentes cursos com formação em Urbanismo e Planejamento Urbano. As equipes podem ser formadas por no mínimo quatro e no máximo oito integrantes. Podendo ser dos cursos:

- arquitetura e urbanismo

- engenharia Urbana

- Urbanismo;

- Planejamento Territorial;

- Geografia.

  • Opcional: estudantes de sociologia, antropologia, filosofia, economia, história, medicina, engenharia ambiental e direito.
  • Cada equipe deve ter um orientador(a) apenas;
  • Cada curso poderá ter até cinco propostas de equipes diferentes.
  • O orientador pode ser o mesmo de outras equipes;
  • Não há condição quanto ao período do integrante.

7.Produtos esperados

7.1.Conteúdos

  1. Até 15 pranchas A3 sem nenhuma informação da instituição, do orientador e integrantes. Apenas na parte superior esquerda a informação “equipe n° xxxxxxx – 1/15” em todas as pranchas na fonte e tamanho apropriado.
  2. Prancha(s) contemplando:
  • a caracterização regional escolhida associada a justificativa da área;
  • quais grupos populacionais estão sendo estudados e como estes implicam na concepção urbana;
  • concepção urbanística em textos, infográficos, organogramas, croquis e formas de representação de uma concepção além do texto;
  • O plano da cidade fica aberto ao trabalho criativo das equipes e do orientador;
  • O projeto da cidade fica aberto ao trabalho criativo das equipes e do orientador;
  • Modelo de gestão urbana da cidade.

7.2.Conteúdos obrigatórios entre as pranchas

  • O conceito “CIDADE UTÓPICA” está bem relacionado ao grupo populacional que irá morar e dar vida à cidade. Deve apresentar ideias importantes para pensar o urbanismo, planejamento urbano e regional, desenho urbano e gestão urbana. Os conceitos e ideias devem está claro entre as formas de expressão, comunicação e representação gráfica. Fica a critério da equipe discutir a melhor forma de comunicar suas ideias através dos conceitos.

8.Comissão de avaliação

Por se tratar se um concurso organizado por um periódico científico os avaliadores são todos doutores pesquisadores na área do Urbanismo e Planejamento Urbano e Regional.

Dr. Renato T. Saboya

Programa de pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Presidente da comissão de avaliação

Dr. Clovis Ultramari

Programa de pós-graduação em Gestão Urbana, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, (PUPCR).

comissão de avaliação

Dr. Tomás A. Moreira

Programa de pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo (IAU/USP).

comissão de avaliação

Dr. Fabricio Gallo

Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade Estadual Paulista (Unesp).

comissão de avaliação

Me. Wesley Medeiros

Editor-chefe da Revista Políticas Públicas & Cidades

Secretário da comissão de avaliação

A comissão irá analisar os seguintes critérios:

Critérios

muito bom

bom

parcial

fraco

Qualidade textual

 

 

 

 

Qualidade gráfica e visual das pranchas

 

 

 

 

Uso dos recursos gráficos na apresentação

 

 

 

 

Localização e caracterização regional

 

 

 

 

Análise e crítica a questão das diásporas

 

 

 

 

Delineamento coeso do grupo populacional e crítica a situação populacional no contemporâneo

 

 

 

 

Concepção de uma CIDADE UTÓPICA – coerência crítica

 

 

 

 

Plano Urbanístico – conceitos, desenho, expressão, representação e comunicação

 

 

 

 

Projeto de Cidade – desenho, propostas, expressão, representação e comunicação

 

 

 

 

A dimensão da morfologia urbana – vias, quadras, lotes, calçadas, arborização, iluminação

 

 

 

 

A dimensão cultural da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão ambiental da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão social e econômica da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão da moradia da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão da qualidade de vida da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão da alimentação da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão da produção econômica regional da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão dos espaços públicos

 

 

 

 

A dimensão da arquitetura da CIDADE

 

 

 

 

A dimensão da mobilidade urbana da CIDADE

 

 

 

 

Possibilidades diversas no cotidiano da vida urbana

 

 

 

 

Oportunidades diversas entre os atos de ir e vir nos espaços públicos

 

 

 

 

Outras dimensões apontadas pela equipe

 

 

 

 

Coerência das ideias relacionadas a outra CIDADE, outra SOCIEDADE

 

 

 

 

Qualidade dos desenhos 2D e 3D

 

 

 

 

Os critérios serão julgados conforme as variáveis:

  • Muito bom: ineditismo e originalidade;
  • Bom: clareza e coerência, mas ainda adota pressupostos da cidade tal como ela se apresenta;
  • Parcial: dificuldade na coerência da proposta com os conceitos;
  • Fraco: fragilidades impossibilitando entendimentos da proposta.

9.Informações operacionais

  • O envio do projeto significa aceitar as condições deste edital;
  • Cada equipe ao enviar sua proposta concorda em ceder ao periódico Cientifico Políticas Públicas & Cidades os direitos autorais para uso em estudos, comunicações em mídias sociais e divulgações científicas;
  • Cada equipe receberá sua ordem de classificação no concurso;
  • Todo processo de avaliação estará disponível na ATA do concurso disponibilizada a todas equipes;
  • A decisão da comissão quantos aos premiados é soberana, irrecorrível e irrevogável. não cabendo recursos;
  • A comissão não se responsabiliza por trabalhos enviados com erros;
  • Trabalhos enviados fora do prazo estarão desclassificados à avaliação;
  • Dúvidas devem encaminhadas para o e-mail: revistappc.concurso@gmail.com 

Wesley Medeiros

Editor-chefe da Revista Políticas Públicas & Cidades – ISSN: 2359-1552

[1] Pode sofrer alterações de acordo com o volume de projetos.