As desigualdades socioespaciais e o planejamento territorial Potiguar em ação

Markelly Fonseca de Araujo

Resumo


Esta reflexão traz uma análise sobre o planejamento territorial Potiguar segundo o exame da abordagem do território usado e praticado em seus planos de sua ação ao combate às desigualdades socioespaciais. O planejamento Potiguar teve início em 1975 com a divulgação do primeiro diagnóstico territorial para a elaboração dos planos de ação regionais. Esses planos são publicados a partir de 1983 até 1987. Os planos mais atuais são realizados pela Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças – SEPLAN. Verificou-se que a prática do planejamento Potiguar ignora a esquizofrenia do território, seus gritos e seu caráter ativo, ao considerar o território apenas como uma referência geométrica e político-administrativa o planejamento beneficia o uso corporativo do território e a especialização de lugares. Essa prática é uma negação dos princípios originais da Política: para se agir é preciso conhecer, máxima dos filósofos gregos na formação da polis. Desse modo, a realidade reclama o retorno à Política como ação. O planejamento do território usado parte do futuro como âncora enfrentando a explosão do território como uma revanche dos lugares.

Palavras-Chave: Desigualdades Socioespaciais. Território Usado. Planejamento Territorial. Revanche dos Lugares.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Políticas Públicas & Cidades - 2359-1552

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

POLÍTICAS PÚBLICAS & CIDADES ESTÁ INDEXADA NAS SEGUINTES BASES CIENTÍFICAS E DE DADOS