O ACESSO À ÁGUA PARA CONSUMO EM VILAS INDÍGENAS DO ALTO SOLIMÕES AMAZONAS – BRASIL

Fernanda Cabral Cidade, Tatiana Schor

Resumo


Este artigo propõe compreender a complexidade urbana nas vilas indígenas de Belém do Solimões, Campo Alegre e Betânia na microrregião do Alto Solimões, a partir da perspectiva da urbanização e do acesso à água para consumo. A atual precariedade das formas de acesso e distribuição de água nestas vilas causam impactos visíveis e invisíveis, principalmente nas questões socioambientais, tais como potabilidade e contaminação de águas superficiais e subterrâneas. Assim o artigo analisou as infraestruturas construídas nas vilas para o abastecimento e distribuição de água e descreveu suas formas de acesso levando em consideração o regime hidrológico do rio Solimões que abastece as vilas. Para tanto a metodologia adotada na pesquisa foi levantamentos bibliográficos sobre a questão da urbanização da Amazônia e nas vilas estudadas e observação em campo das infraestruturas encontradas para o abastecimento e distribuição de água. Tendo como resultado principal uma reflexão da atual realidade vivida nestas vilas, que em nada se diferem dos principais problemas urbanos enfrentados pelos demais amazônidas, com o agravante da precariedade no acesso à água para o consumo.

Palavras – chaves: vilas indígenas, acesso à água, urbanização, Amazônia, Brasil 


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Políticas Públicas & Cidades - 2359-1552

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

POLÍTICAS PÚBLICAS & CIDADES ESTÁ INDEXADA NAS SEGUINTES BASES CIENTÍFICAS E DE DADOS