ADENSAMENTO DA COMUTAÇÃO NO ARRANJO URBANO-REGIONAL LESTE CATARINENSE

Marley Vanice Deschamps, Rosa Moura, Claudia Siebert

Resumo


Na chamada “metamorfose” da metropolização, metrópoles e suas aglomerações passam a conformar regiões de grande escala territorial, com limites difusos, expressando fragmentação territorial e segregação social. Redefinem-se hierarquias e relações entre cidades, enquanto emergem cidades conurbadas, com polinucleação intensa e múltipla rede de fluxos, intensificando a comutação e dando origem a uma estrutura regional em rede. Esse processo se observa nos arranjos espaciais – considerados novas formas e novos conteúdos da cidade e da aglomeração, em seus processos de reconfiguração territorial. O Leste Catarinense, arranjo espacial objeto desta análise, expressa tal metamorfose. Distingue-se por não se constituir a partir da expansão de uma metrópole, mas por articular aglomerações e centros que estreitam relações entre si, dividindo funções especializadas. Este espaço é contextualizado na análise de algumas dinâmicas, tendo como elemento articulador os movimentos pendulares da população, analisados no âmbito dos fluxos e do perfil das pessoas envolvidas. Essa análise empírica é introduzida por uma breve discussão teórica sobre este estágio da metropolização e a tendência de configuração de arranjos espaciais ainda mais complexos.

PALAVRAS - CHAVE | arranjos espaciais; dinâmicas territoriais; Leste Catarinense.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.23900/2359-1552.2016v4n1p30

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 REVISTA POLÍTICAS PÚBLICAS & CIDADES - 2359-1552

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

POLÍTICAS PÚBLICAS & CIDADES ESTÁ INDEXADA NAS SEGUINTES BASES CIENTÍFICAS E DE DADOS